domingo, 27 de dezembro de 2009

O Fazedor de Auroras

Jorge Adelar Finatto
 
 
                                 
Dá-me tua mão tarde de maio
tua  chuva fina
teus filtros de memória
tua claridade

O coração persiste
na lenta construção
das manhãs



----------

Poema do livro O Fazedor de Auroras, Jorge Adelar Finatto, Instituto Estadual do Livro, Porto Alegre, 1990.
jfinatto@terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário