terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Aurora do mundo

Jorge Finatto
 
 
Amor
É quando batem em você e dói muito.
(Viviana Castaño, 6 anos)

Criança
Para mim a criança é algo que não é cachorro. É um humano que todos temos que apreciar.
(Johana Villa, 8 anos)
 
Adulto
Pessoa que em toda coisa que fala, vem primeiro ela.
(Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)

Universo
Casa das estrelas.
(Carlos Gómez, 12 anos)


O MUNDO DAS CRIANÇAS está povoado de sabedoria,  imaginação e poesia. Elas veem as coisas com outro olhar, sem dúvida mais humano e completo que o nosso. E nunca omitem seu sentimento quando se expressam.
 
O amanhecer do universo habita o coração infantil com suas cores e sentidos. Os pequenos são capazes de ver muito além dos preconceitos e aparências.

Olham a vida pela primeira vez, como fazem os poetas, os artistas e os puros de coração. Esta visão inaugural é capaz de notáveis revelações.
 
O olhar primitivo de meninos e meninas está longe da contaminação que advém dos condicionamentos. Ainda não se submeteram por inteiro às imposições do ambiente social. É nessa capacidade generosa de ver a vida, e aproximar-se do outro, que elas muitas vezes nos surpreendem.
 
Pois um excelente apanhado deste notável poder de percepção é o que encontramos no livro Casa das Estrelas, organizado pelo escritor colombiano e professor de alunos de séries iniciais Javier Naranjo.
 
Ele recolheu, ao longo de mais de dez anos, frases de seus alunos de espanhol, leitura e criação literária, com idade entre 3 e 13 anos. O trabalho ocorreu em escolas situadas na cidade de Rionegro, departamento (estado) de Antioquia, na Colômbia.

Javier Naranjo também é pesquisador da linguagem infantil e este livro é produto de seu encantamento em trabalhar as palavras, a leitura e a criatividade com as crianças, num clima de liberdade e prazer.
 
Os pequenos autores expressam sua visão das coisas a partir de palavras-tema que escolheram e compartilharam em sala de aula. O resultado é riquíssimo do ponto de vista da linguagem (a maneira livre de amarras sintáticas de se expressar) e do conteúdo. Por vezes, temos a impressão de estar navegando nas águas mágicas de outro colombiano ilustre, Gabriel García Márquez.
 
Para quem se sente exausto diante do palavrório gasto e enfadonho do dia a dia, a leitura das frases destes audazes construtores de sentido nos remete à aurora de um mundo onde a linguagem ainda não cedeu aos apelos da publicidade, da mentira, da pobreza de ideias e sentimentos.

Deus
É invisível e não sei mais porque não fui no céu.
(José Piedrahíta, 3 anos)

Eternidade
É esperar uma pessoa.
(Weimar Grisales, 9 anos)

Família
Lugar onde tem muita discussão e se amam.
(Alejandra Giraldo, 10 anos)

Igreja
Onde as pessoas vão perdoar Deus.
(Natalia Bueno, 7 anos)
 
___________
Casa das estrelas, o universo contado pelas crianças. Seleção, organização e apresentação de Javier Naranjo. Editora Foz, Rio de Janeiro, 2013. Tradução de Carla Branco. Ilustrações de Lara Sabatier.
 

2 comentários:

  1. Gracias Jorge, qué bello y sentido comentario. Creo que así sentí...que eso sentí, sin tantas palabras tan precisas como las tuyas, mientras jugaba con las palabras y los niños.

    Un abrazo desde Colombia.

    Javier

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Javier. Me emocionei várias vezes lendo teu livro, que nos lembra muitas coisas que já perdemos, pedaços de humanidade que fomos deixando pelo caminho. O recente e triste episódio com a Chapecoense nos ensinou que existe amor e fraternidade verdadeira na Colômbia, com seu enorme coração pulsando no planeta. Graças a Deus. Muito obrigado por esse lindo livro! E pelo comentário que me deixou muito, muito feliz! Um grande abraço.
      Jorge Finatto

      Excluir