quarta-feira, 13 de maio de 2020

A queda de Chet Baker em direção ao infinito

Jorge Finatto

Chet Baker, 1983. foto: Michiel Hendryckx
Wikipedia

Faz hoje 32 anos que Chet Baker (1929 - 1988) morreu após despencar da janela de um quarto de hotel em Amsterdam. Nunca se esclareceu se foi suicídio ou morte acidental. Um mistério.

O que não é mistério é a enorme contribuição dele ao jazz e à música. Com seu maravilhoso trompete e sua voz cálida, quase sussurrada, inventou uma nova maneira, personalíssima, de fazer música.

Aos 58 anos perdeu a vida, uma vida atormentada que lhe pregou dolorosas peças. O envolvimento com as drogas foi um capítulo dramático em sua existência.

A música foi sua salvação. Nos palcos onde pisou, com big band ou solitário, uma aura de silêncio tomava conta quando, sentado, silhueta esguia, empunhava seu instrumento. Naquele diminuto território ele era o mágico senhor dos sons e sentimentos.

No vasto fundão do universo, imagino que, em certa noite de melancolia, Deus criou Chet para aquecer o seu coração e o coração dos homens.


Não me abandones*

                         a Chet Baker

Não me abandones
povoa a noite
com teu suprimento
de afeto

enche o deserto
com teus passos

em segredo
devolve-me
a delicadeza
daqueles dias

me dá outra vez
o diamante
da tua
presença


________

*Do livro O Habitante da Bruma, Jorge Finatto, Editora Mercado Aberto, Porto Alegre, 1998.
Leia também Chet on poetry:
http://ofazedordeauroras.blogspot.com.br/2012/06/uma-viagem-sentimental.html

2 comentários:

  1. Belíssima homenagem a Chet Baker.O texto é excelente. E a poesia então? Os últimos versos, "me dá outra vez o diamante da tua presença", retratam com fidelidade extrema aquela saudade que chega a confranger o coração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Caro Atapoã. Fico muito sensibilizado com tua manifestação. Como compositor talentoso e sensível, sabes melhor do que eu avaliar o trabalho de um músico. Chet Baker deixou uma obra que nos toca e enternece. Um grande abraço!

      Excluir